E se não houvesse nada errado com você em ser você? #4

“Perfeição é a antítese da autenticidade” Willie Garson

O

lá, como está hoje? Espero que super bem!

Estou chegando com o 4º conteúdo especial da nossa série de 21 vídeos Ser Singular.

Hoje vamos falar sobre a maior barreira que impede as pessoas de serem quem realmente são e de serem o presente que são para o mundo.

Clica no play pra conferir qual é:

 >> Clique aqui pra se inscrever no canal <<

E se não houvesse nada de errado com você em ser você?

A maior barreira que impede as pessoas de serem quem realmente são se chama autojulgamento.

Todo autojulgamento vem em forma de condição ou limitação. São aqueles famosos:

  • Quando eu for isso, então farei aquilo;
  • Quando atingir aquilo, aí sim serei…

Todo julgamento separa. Quando você se julga é como se você cada vez mais se separasse de si mesmo e de sua singularidade.

É como se você precisasse de condições especiais para ser você mesmo e isso impede de você se expressar com ser singular que é.

Você está disposto a destruir e descriar todo autojulgamento abrindo espaço para algo mais expansivo se manifestar? Sim? Então, assim é!

Todo “tem que” esconde um julgamento

Durante nossa série especial de conteúdos temos falado muito sobre os “têm que”, obrigações autoimpostas que acabam nos separando do que realmente estaríamos fazendo se não houvesse um tem que “obrigando” a fazer outra coisa…

Já aconteceu com você de ter a sensação de que a vida que está levando não parecer ter nada a ver com você?

Se isso tem acontecido é porque talvez você esteja se deixando levar mais pelas obrigações dos “têm que” ao invés de se expressar como ser único que é de verdade?

É claro que, como vivemos em sociedade, temos alguns papéis a desempenhar, mas e se pudéssemos a partir de agora escolher quais papéis iremos desempenhar (e como)?

Perguntas que promovem consciência sobre isso

  • Se estivesse sendo verdadeiramente eu como seria?
  • Se não estivesse escolhendo esse papel agora, o que poderia escolher?
  • Se eu tivesse opções melhores do que as que considerei no passado, quais escolheria?
  • Se eu pudesse escolher qualquer coisa que desejasse aqui, o que escolheria?
  • Se eu tivesse uma varinha mágica e pudesse fazer isso sair da maneira que desejasse, como apareceria?

Você não precisa ficar na mente lógica tentando buscar respostas para essas perguntas. Basta fazê-las e começar a movimentar sua consciência em uma nova direção abrindo espaço para um novo espaço em sua vida!

E se pudéssemos reconhecer: “Tudo bem ser eu. Apenas sou diferente. E daí?

O poder da ação inspirada - E se você fosse a chave - Paty Pegorin

Quem sabe desse espaço você poderia assumir todas suas diferenças, afinal, todos somos diferentes!

E são dessas diferenças que surgem as infinitas possibilidades dessa realidade.

Qual nova possibilidade você está disposto a escolher?

Se ainda não baixou, clique aqui e se cadastre para receber o Workbook especial da Série Ser Singular gratuitamente.

E abra novas fechaduras em sua vida, apenas sendo a chave única que você é.


Gratidão e sucesso!
signature
Cadastre-se

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem Comentários Ainda. Seja o primeiro!

Anterior
O Poder da Ação Inspirada #3
E se não houvesse nada errado com você em ser você? #4