A frase atribuída a Sócrates (mas que pode ter sido dita por outro sábio grego antigo) representa um desafio enorme para os dias de hoje.Temos tempo para nos dedicarmos ao conhecimento pessoal? Não aquele entregue mastigado pelas religiões, mas o conhecimento adquirido através das experiências?

hello day! Happy man silhouette on sunrise

O fato é que o conhecimento em massa sobre nosso ser real quebraria diversos paradigmas da sociedade atual e poderia até significar a queda do sistema capitalista, pois certamente isto geraria questionamentos do tipo:

“Realmente preciso comprar isto?”

“Por que devo entregar a maior parte do meu tempo para esta empresa que me enxerga apenas como um número?”

“Por que a televisão nos inunda o tempo todo com ordens do tipo: Compre, seja, tenha?”

Conhecer nossa própria essência gera uma ruptura com o meio onde estamos inseridos. A expansão de consciência faz com que enxerguemos as coisas com um outro olhar.

Hoje assisti um vídeo muito interessante sobre este assunto. Vale a pena conferir:

Acompanho o trabalho do Laércio Fonseca através do You Tube há bastante tempo e gosto muito de todas as reflexões geradas pelos vídeos.

Alguns dos conceitos abordados pelo vídeo que me chamaram a atenção:

  • Se você não sabe quem é, facilmente é manipulado: se não se conhece, não sabe quais são seus talentos e objetivos, você facilmente é convencido do que é ou precisa, gerando mais vazio ainda.
  • Não seja um androide: não viva como um robô! Não deixe que a rotina roube um dos maiores tesouros que você tem que é a liberdade de pensar e agir.
  • A verdade está aqui dentro e não lá fora: quando pararemos de olhar para fora procurando por respostas que deveríamos estar procurando olhando para dentro?
  • Você é um normótico? Você procura ser sempre “ter uma vida normal” como a de todo mundo ou você se permite ousar em todas as áreas de sua existência? Sendo criativo, transformando sonhos em objetivos?
  • Libertação de escravos: foram mesmo libertados? Será mesmo que a libertação dos escravos foi real ou apenas um teatro? Enquanto estivermos adormecidos para a expansão de consciência não somos todos escravizados pelo sistema também?

Conhecimento Pessoal 2

Por onde começar a trilhar o caminho do conhecimento pessoal?

Mas Paty, onde está a estrada do conhecimento pessoal? Como devo começar a trilhá-la?

Só você mesmo pode responder a esta pergunta e o processo de encontrar esta resposta já te coloca nesta estrada.

Questione-se, amplie-se, conheça-se.

  • Qual é meu talento? O que eu faço com amor que nem vejo o tempo passar quando estou fazendo?
  • Estou presenteando o mundo com algum fruto do meu talento?
  • O que realmente gosto na vida?
  • Quais são meus sonhos?
  • O que eu faria se não ‘precisasse’ de dinheiro / trabalhar / estudar / me formar etc?

Você pode fazer estas e outras perguntas e começar a trilhar o caminho do conhecimento pessoal. Este é o primeiro passo na arte da criação deliberada (criação de uma vida melhor, manifestações de seus sonhos).

E todas as respostas precisam vir do SER e não do TER.

Tanta gente se considera infeliz e nem sabe os reais motivos… Há de se investigar se não tem relação com o fato da própria vida estar focada no TER antes do SER. Há de se investigar se os talentos estão sendo vivenciados na prática. Há de se investigar o que seu interior tem pra lhe dizer…

Seja o que deseja. O primeiro passo é se conhecer e se ouvir. E sim, este é um excelente começo!

Paty Pegorin

Paty cria conteúdo na Internet há 21 anos. Tem formação em coaching, terapias integrativas, visual thinking e tecnologia da informação. Criou esse site para compartilhar os bastidores do seu ateliê digital. Saiba mais clicando aqui.

Deixe um comentário

Receba as novidades

Icon Paty Pegorin